Pular para o conteúdo principal

Adubação fosfatada com gesso – Hora de corrigir e nutrir o solo


Créditos Shutterstock
Créditos Shutterstock










A região do Cerrado brasileiro possui em torno de 150 milhões de hectares (25% do território nacional), o que representa um importante papel na produção agroflorestal do País. A madeira, matéria-prima utilizada pelo setor florestal, é adquirida a partir de plantios homogêneos realizados principalmente com as espécies de eucalipto, não obstante a contribuição de outras espécies, como pinus, seringueira, mogno, teca, gliricidea, acácias (mangium e negra), etc.
A silvicultura nacional tem grande base no cultivo do eucalipto, principalmente dado o seu potencial de produção (altos volumes por área), e o seu rápido crescimento. Além do mais, é uma excelente matéria-prima para diversos produtos de primeira necessidade, bem como geradora de inúmeros postos de trabalho (HIGA, 2006; SILVEIRA & GAVA, 2010; BASSACO&WALCZAK, 2014).
Benefícios do eucalipto
A elevada utilização do eucalipto nos reflorestamentos ocorreu pelo seu rápido crescimento e por sua boa adaptação às nossas condições edafoclimáticas. Os plantios de eucalipto no Brasil ocupam uma área acima de 7,0 milhões de hectares (ano de 2016), sendo que aproximadamente 70% estão concentrados nos Estados de Minas Gerais e São Paulo, em solos sob vegetação de Cerrado.
Os povoamentos brasileiros estão localizados em solos com baixa fertilidade natural (pequena reserva de nutrientes essenciais), acidez elevada e altos teores de alumínio. Além disso, possuem baixos teores de fósforo, nutriente essencial para o crescimento das árvores, pouco móvel no solo. Essa última característica indica que ele deve ser fornecido o mais próximo possível das raízes. Nesta condição, existirá um aumento e/ou manutenção de boas produtividades nos povoamentos.
Solos bem nutridos e corrigidos resultam em florestas mais saudáveis - Créditos Shutterstock
Solos bem nutridos e corrigidos resultam em florestas mais saudáveis – Créditos Shutterstock











Equilíbrio nutricional
O déficit nutricional para o eucalipto pode ser de muitos nutrientes, como o nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio, enxofre, boro, cobre e zinco. A falta acentuada destes pode comprometer seriamente a produtividade inicial ou a manutenção desta após várias rotações.
Há mais de 30 anos, já se teve ideia da extração de nutrientes pelo eucalipto. Assim, Bellote (1979) avaliou provoamentos de Eucalyptusgrandis aos seis anos de idade, e mostrou os seguintes acúmulos de nutrientes: Ca (518 kg ha-1), N (472 kg ha-1), K (245 kg ha-1), S (160 kg ha-1), Mg (125 kg ha-1) e P (30 kg ha-1), também corroborando com os dados de Barros & Novais (1996).
A demanda de nutrientes para o eucalipto aumenta com a produtividade esperada e, em geral, para uma produtividade de 40 m3 ha-1 ano o conteúdo na biomassa aos sete anos de idade é: 360 kg ha-1 de N, 24 kg ha-1 de P, 195 kg ha-1 de K, 400 kg ha-1 de Ca e 85 kg ha-1 de Mg (NEVES, 2000; GONÇALVES & MELLO, 2004).
Além disso, a necessidade de adubação decorre do fato de que nem sempre o solo é capaz de fornecer todos os nutrientes que as plantas precisam para um adequado crescimento.Por isso, o manejo da adubação estará relacionado com as necessidades nutricionais, com a fertilidade do solo, com a eficiência dos fertilizantes, com a forma de aplicação e eficiência econômica do uso e da aplicação do adubo.
Recomendações
As recomendações de adubação devem ser definidas a nível regional para as espécies e classes de solo de maior utilização. Assim, pode-se obter a otimização dos retornos financeiros (GONÇALVES, 1995; BASSACO&WALCZAK, 2014). Portanto, uma maior produtividade deve ser consequência de maior aquisição de recursos pela cultura, como carbono, proveniente da atmosfera, e nutrientes, provenientes do solo (NEVES, 2000).
Por outro lado, a produtividade será maior com uma maior eficiência na aquisição de água e nutrientes pelo sistema radicular desenvolvido adequadamente (BASSACO&WALCZAK, 2014).
O fósforo
Com relação ao fósforo, a cultura do eucalipto é altamente exigente nesse nutriente, principalmente na fase inicial de crescimento.O elemento é móvel nos tecidos e, com isso, os sintomas de deficiência surgem nas folhas mais velhas e no estádio inicial da carência as folhas mais velhas ficam com coloração verde escura, mostrando-se arroxeadas próximo às nervuras e com pontuações escuras ao longo do limbo foliar.
No estádio final, as pontuações progridem em tamanho e tornam-se necróticas (SILVEIRA & GAVA, 2010). No campo, em condições de deficiência severa, ocorre drástica redução do tamanho das plantas, que ficam completamente arroxeadas e, geralmente, observa-se no final das linhas de plantio, onde muitas vezes o adubo fosfatado acaba não sendo aplicado.
Fonte 
Bruno Nicchio
Engenheiro agrônomo e doutorando em Produção Vegetal, ICIAG-UFU
José G. Mageste
Engenheiro florestal, Ph.D. e professor ICIAG-UFU
Ernane Miranda Lemes
Engenheiro agrônomo, mestre e doutor em Produção Vegetal, ICIAG-UFU

Postagens mais visitadas deste blog

Como é formado os solos

O solo é a fina camada de material que cobre a superfície da Terra e é formado a partir da desagregação das rochas.Ela é composta principalmente de partículas minerais, materiais orgânicos, água, ar e organismos vivos de todas as que interagem lentamente ainda constantemente. A maioria das plantas obtem os seus nutrientes do solo elas são a principal fonte de alimento para os seres humanos, animais e pássaros.Portanto, a maioria dos seres vivos na terra dependem do solo para a sua existência. O solo é um recurso valioso que precisa ser cuidadosamente gerido, uma vez que é facilmente degradado.Se entendermos o  solo e controlá-lo corretamente, vamos evitar a destruição de um dos blocos de construção essenciais de nosso meio ambiente e nossa segurança alimentar. Perfil do solo, mostrando as diferentes camadas ou horizontes. O perfil de soloComo solos desenvolveram ao longo do tempo, as camadas (ou horizontes) formam um perfil do solo. A maioria dos perfis de solo é composto por - solo e subs…

Conheça os 5 melhores aplicativos para uso na área Agronômica 2018

1º PlantNet: Um excelente App para identificação de plantas daninhas. https://play.google.com/store/apps
Pl@ntNet é uma aplicação de colecta, anotaçâo e pesquisa de imagens para auxiliar a identificar plantas.Ela integra um sistema de ajuda para a identificação automática de plantas a partir de fotos comparadas com as imagens de um banco de dados botânicos. Os resultados permitem encontrar o nome botânico de uma planta, se esta for suficientemente ilustrada na base de referência. Tanto o número de espécies processadas como o número de imagens utilizadas evoluem com as contribuições neste projeto.A aplicação não permite a identificação de plantas ornamentais ou de horticultura. Funciona ainda melhor se as imagens submetidas focalizarem um órgão ou uma parte bem determinada da planta. As fotos de folhas de árvores sobre um fundo uniforme fornecem os resultados mais relevantes. 2° Pasto Certo O Pasto Certo é um aplicativo para dispositivos móveis que permite o acesso, de forma rápida e integr…

5 Melhores Apps para uso na área Florestal

1- C7 Relação H/D 

O Aplicativo C7 Relação H/D – Relação Hipsométrica - opera com os dados de altura e diametro obtidos e registrados no aplicativo de levantamentos de dados I, e procede o ajuste a modelos de regressão  com cálculos de coeficientes da regressão e outros como coeficiente de determinação (R2), erro padrão da estimativa (Sxy).  Estão pré-definidos 12 modelos que comumente são utilizados em tais levantamentos.
      A partir da seleção de um modelo ajustado e com a inserção de dados de DAP, o programa calcula a estimativa de alturas de árvores localizadas na área amostral onde foi estabelecida a relação hipsométrica. https://play.google.com/store/apps/details?id=crcampeiro.florestal&feature=search_result
2-Aplicativo C7 LDFP

O Aplicativo C7 LDFP - Levantamentos de Dados I – Florestas Plantadas  possibilita:
a) Cadastro de Espécies Florestais Exóticas(Plantadas) b) Cadastro de Projetos de Levantamentos Florestais aplicados a:     - Inventário de Florestas Plantadas     - Cálc…