Pular para o conteúdo principal

Bambu – Um dos mais promissores recursos renováveis do século 21

Crédito-Shutterstock
Crédito-Shutterstock









Bambu é um termo genérico que designa as cerca de 1.400 espécies de gramíneas (Poaceae) da subfamília Bambusoideae. São plantas perenes que apresentam colmos eretos com nós e internós distintos que geralmente são ocos com casca lenhosa.
As espécies de bambu ocorrem naturalmente em regiões de clima tropical e temperado (SödertrömCalderon, 1979; Judziewicz et al., 1999) e representam 3% da área total coberta por florestas no mundo. O bambu apresenta gêneros de tamanho pequeno (p.ex. Pleioblastus, Raddiella) e elevado (p.ex. Dendrocalamus, Phyllostachys), podendo ocorrer bambus com poucos centímetros a até mais de 50 metros de altura.
Tipos de bambus
Existem basicamente dois tipos de bambu quanto ao agrupamento dos colmos: bambus de crescimento simpodial e de crescimento monopodial. Bambus que crescem próximos, com muitos colmos em uma touceira, são bambus de crescimento simpodial, enquanto que bambus que apresentam colmos solitários, regularmente separados um do outro, são bambus de crescimento monopodial.
Dentre os bambus de crescimento simpodial, existem as espécies entouceirantes e as espécies alastrantes, e estas podem ser um grande problema, se mal conduzidas. Todos os colmos de um bambu, sejam agrupados ou individuais, se originam de um caule horizontal subterrâneo chamado rizoma.
Existem diversas variedades de bambu, entre as quais se destacam os bambus trazidos pelos portugueses, como o bambu-caipira (Bambusatuldoides), o bambu-gigante-verde (B. vulgaris, espécie comumente utilizada para a produção de biomassa e a fabricação de papel), e o bambu-gigante-verde-e-amarelo (B. vulgarisvar.vittata); já o bambu-gigante (Dendrocalamusgiganteus e D. asper) e o bambu-mirim (Phillostachysaurea) foram variedades trazidas da Ásia.
O bambu é apontado como um dos mais promissores recursos renováveis do século 21- Crédito Pixabay
O bambu é apontado como um dos mais promissores recursos renováveis do século 21- Crédito Pixabay










Solos
O bambu é conhecido por se desenvolver em solos nutricionalmente pobres (Desh, 1989), necessitando de pouco mais que água e luz solar, por crescer muito rapidamente, sendo capaz de duplicar e até triplicar sua biomassa em apenas uma estação de crescimento, e porapresentar grande resistência mecânica associada a uma incrível flexibilidade e leveza.
Por estas características, o bambu é apontado como um dos mais promissores recursos renováveis do século 21, sendo plenamente capaz de aliviar a crescente demanda por produtos florestais.
No Brasil, a Lei nº 12.484/2011, que dispõe sobre a Política Nacional de Incentivo ao Manejo Sustentado e ao Cultivo do Bambu, e a Associação Brasileira de Produtores de Bambu (Aprobambu, criada em 2014), são ações que motivam produtores rurais a destinar terras ao cultivo do bambu para a produção de colmos, a extração de brotos, paisagismo e funções ambientais, bem como promover o desenvolvimento socioeconômico regional.
Após o estabelecimento da touceira de bambu não é necessário seu replantio, sendo, por isso, considerada uma planta “altamente renovável”. No entanto, é devido a esta prolificidade que o bambu é comumente mal visto pelos agricultores e muitas vezes marginalizado na silvicultura.
Uma touceira de bambu, uma vez instalada, se torna uma planta muito agressiva e se expande rápida e desordenadamente. Esta situação pode ser amenizada, e mesmo contida com a definição dos objetivos do plantio do bambuzal (recuperação de áreas, plantio comercial para colmos, paisagismo), o planejamento das ações e o manejo adequado das touceiras após seu estabelecimento, principalmente por meio de técnicas de contenção do espalhamento dos rizomas.
Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock










Necessidades e cultivo do bambu
O bambu é também uma planta versátil quanto às necessidades para seu crescimento, e pode muito bem sobreviver em solos marginais e ainda produzir consideráveis quantidades de biomassa. Basicamente, luz solar, temperaturas entre 8,5 e 40°C e um suprimento adequado de água são o suficiente para o desenvolvimento do bambu e o lançamento de novos colmos.
Em áreas abertas, com chuvas abundantes, um bambuzal pode crescer rapidamente e dominar a paisagem, mesmo em solos de pouca fertilidade. Em períodos extensos de seca, o bambuzal perde suas folhas para sobreviver à falta d’água, resistindo a diversos estresses no campo.
No entanto, climas quentes (tropical a subtropical), com boa distribuição de chuvas, solos mais arenosos, férteis e bem drenados, com pH entre 5 e 6 (apesar de sobreviver em pH de 4,5 a 7,5), altitude e latitude até 3.800 metros e 40°, respectivamente, são as condições mais adequadas para que o bambuzal cresça vigorosamente. O bambu, apesar de sobreviver em condições limitadas, também é bastante responsivo a tratos culturais como correção e fertilização do solo, controle de plantas infestantes e à irrigação.
FONTE: REVISTA CAMPOS E NEGÓCIOS 
Ernane Miranda Lemes
Engenheiro agrônomo, M.Sc. e doutorando em Produção Vegetal – ICIAG-UFU
Lísias Coelho
Engenheiro florestal, Ph.D. e professor – ICIAG-UFU
Túlio Vieira Machado
Engenheiro agrônomo e mestrando em Fitotecnia -ICIAG-UFU

Postagens mais visitadas deste blog

Como é formado os solos

O solo é a fina camada de material que cobre a superfície da Terra e é formado a partir da desagregação das rochas.Ela é composta principalmente de partículas minerais, materiais orgânicos, água, ar e organismos vivos de todas as que interagem lentamente ainda constantemente. A maioria das plantas obtem os seus nutrientes do solo elas são a principal fonte de alimento para os seres humanos, animais e pássaros.Portanto, a maioria dos seres vivos na terra dependem do solo para a sua existência. O solo é um recurso valioso que precisa ser cuidadosamente gerido, uma vez que é facilmente degradado.Se entendermos o  solo e controlá-lo corretamente, vamos evitar a destruição de um dos blocos de construção essenciais de nosso meio ambiente e nossa segurança alimentar. Perfil do solo, mostrando as diferentes camadas ou horizontes. O perfil de soloComo solos desenvolveram ao longo do tempo, as camadas (ou horizontes) formam um perfil do solo. A maioria dos perfis de solo é composto por - solo e subs…

Conheça os 5 melhores aplicativos para uso na área Agronômica 2018

1º PlantNet: Um excelente App para identificação de plantas daninhas. https://play.google.com/store/apps
Pl@ntNet é uma aplicação de colecta, anotaçâo e pesquisa de imagens para auxiliar a identificar plantas.Ela integra um sistema de ajuda para a identificação automática de plantas a partir de fotos comparadas com as imagens de um banco de dados botânicos. Os resultados permitem encontrar o nome botânico de uma planta, se esta for suficientemente ilustrada na base de referência. Tanto o número de espécies processadas como o número de imagens utilizadas evoluem com as contribuições neste projeto.A aplicação não permite a identificação de plantas ornamentais ou de horticultura. Funciona ainda melhor se as imagens submetidas focalizarem um órgão ou uma parte bem determinada da planta. As fotos de folhas de árvores sobre um fundo uniforme fornecem os resultados mais relevantes. 2° Pasto Certo O Pasto Certo é um aplicativo para dispositivos móveis que permite o acesso, de forma rápida e integr…

5 Melhores Apps para uso na área Florestal

1- C7 Relação H/D 

O Aplicativo C7 Relação H/D – Relação Hipsométrica - opera com os dados de altura e diametro obtidos e registrados no aplicativo de levantamentos de dados I, e procede o ajuste a modelos de regressão  com cálculos de coeficientes da regressão e outros como coeficiente de determinação (R2), erro padrão da estimativa (Sxy).  Estão pré-definidos 12 modelos que comumente são utilizados em tais levantamentos.
      A partir da seleção de um modelo ajustado e com a inserção de dados de DAP, o programa calcula a estimativa de alturas de árvores localizadas na área amostral onde foi estabelecida a relação hipsométrica. https://play.google.com/store/apps/details?id=crcampeiro.florestal&feature=search_result
2-Aplicativo C7 LDFP

O Aplicativo C7 LDFP - Levantamentos de Dados I – Florestas Plantadas  possibilita:
a) Cadastro de Espécies Florestais Exóticas(Plantadas) b) Cadastro de Projetos de Levantamentos Florestais aplicados a:     - Inventário de Florestas Plantadas     - Cálc…