Pular para o conteúdo principal

Artigo: A melhor época de adubação com NPK na Cultura do Milho

Novidades no manejo da adubação nitrogenada - Fotos Shutterstock

RESPOSTA DA CULTURA DO MILHO (Zea mays) A ÉPOCAS DE ADUBAÇÃO NPK E DOSES DE GESSO

Edleusa Pereira Seidel,João Vitor Fiore Dal Molin, Marcos Cesar Mottin 1 Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Professora, Marechal Cândido Rondon - PR, edleusa.seidel@unioeste.br.

Palavras-chave: gessagem; alumínio em profundidade; antecipação de adubação.

O gesso agrícola é um subproduto da indústria de ácido fosfórico, contendo altas concentrações sulfato de cálcio e, baixas de fósforo e flúor. Os solos de regiões tropicais e subtropicais, normalmente são ácidos e apresentam altos teores de alumínio trocável. A acidez do solo é considerada um dos principais fatores que limita a produtividade das culturas no mundo. O uso de gesso agrícola pode aumentar a produtividade das culturas nesses tipos de solos, pois além de insolubilizar alumínio em profundidade e aumentar a disponibilidade de cálcio e o fornecimento de enxofre às culturas. 
O cálcio é o principal componente da parede celular das raízes, operando no alongamento e multiplicação celular (SILVA et al., 2013). O uso de fertilizantes que não contêm enxofre em sua composição tem intensificado a deficiência de enxofre no solo pode ser um fator limitante na produtividade das culturas e, a sua adição torna-se uma prática viável para melhorar a produtividade das culturas (RHEINHEIMER et al., 2005). Outro fator que contribui para a redução da produtividade, é o atraso durante a semeadura, devido a aplicação de fertilizantes. Isso implica em maior tempo e número de abastecimentos da semeadora, reduzindo sua capacidade operacional. Portanto, no sistema plantio direto, uma das alternativas para tornar mais rápida a operação de semeadura é a aplicação antecipada de fertilizantes. 
Desse modo, o trabalho teve como objetivo avaliar a produtividade do milho em resposta a utilização de diferentes doses de gesso, e a antecipação ou não da adubação de NPK. O experimento foi realizado na cidade de Campo Mourão – PR, em um LATOSSOLO VERMELHO Eutrófico típico (SANTOS et al., 2013). O delineamento experimental foi de blocos inteiramente casualizados, em esquema fatorial (4 x 2); com 4 repetições. O primeiro fator consistiu de 4 doses de gesso :0, 900, 1800, 2700 kg ha-1. O segundo fator consistiu de duas formas de aplicação de adubação de NPK: antecipada e junto a semeadura. Cada parcela apresentou 10 metros de comprimento e 1,8 metros de largura, totalizando 18 m2 . Antes da implantação do experimento a área estava cultivada com aveia. Após sua colheita a área foi dessecada utilizando o produto glifosato na dose de 3 L ha-1. A adubação antecipada e a gessagem foram realizadas à lanço, 21 dias antes da semeadura do milho. A adubação utilizada tanto na forma antecipada como em conjunto com a semeadura, foi o formulado 10-15-15 (N, P2 O5 , K2 O), na dose de 755 kg ha-1. A semeadura foi realizada manualmente utilizando o milho híbrido Pioneer 2530. O número de plantas por hectare foi de 66.000. 
Quando o milho atingiu o estádio V4 (quarta folha totalmente desenvolvida) foi feita uma aplicação de ureia em cobertura na dose de 138 kg ha-1. O controle de insetos pragas e de plantas daninhas, foram realizados conforme a necessidade da cultura. A avaliação da altura de planta e diâmetro de colmo foi realizada no estádio vegetativo VT (pendoamento).
 As avaliações de comprimento de espiga e diâmetro de colmo, foram feitas no momento da colheita, coletando 10 espigas aleatórias por parcela. A produtividade e o peso de 4 Livro RBMCSA - 19-11-16.indb 39 28/11/2016 11:49:19 40 SESSÃO: FERTILIDADE DO SOLO E NUTRIÇÃO DE PLANTAS 1.000 grãos da cultura foi avaliada colhendo manualmente as duas linhas centrais de cada parcela descartando um metro de cada extremidade. Os dados obtidos foram tabulados e submetidos à análise de variância considerando um nível de significância de 5 % para o teste F. Quando significativos, as médias foram comparadas pelo teste de Tukey a 5 % de probabilidade para as épocas de adubação e, análise de regressão para as doses de gesso, utilizando o software estatístico Sisvar. Na análise de variância não houve efeito da interação épocas de adubação e doses de gesso, mas houve efeito isolado das variáveis: altura de planta, diâmetro de espiga e produtividade. As plantas mais altas e o maior diâmetro de espiga foram obtidos com a adubação de NPK no momento da semeadura. 
A maior produtividade foi de 10.331 kg ha-1, e foi obtida com a adubação feita no momento da semeadura. Com a adubação antecipada, houve uma redução de 1.374 kg ha-1. Uma provável explicação para a redução da produtividade constatada nos tratamentos que receberam a adubação antecipada foi a perda dos nutrientes nitrogênio e potássio por lixiviação. De acordo com Resende et al. (2006), o cloreto de potássio (KCl), principal fonte de potássio utilizado na agricultura, é um sal altamente solúvel em água (58 % de solubilidade) e portanto, facilmente perdido. O nitrogênio também é um nutriente facilmente perdido por volatilização e lixiviação (BARBOSA FILHO et al., 2004). Cabe salientar que no sistema plantio direto, as cultivares de milho responde de maneira diferenciada à antecipação da adubação (BERTOLINI et al., 2008). No caso deste trabalho, o milho utilizado foi o Pionner 2530, ou seja, um híbrido simples que necessita de adubação em grande quantidade e de fácil disponibilidade. 
Não houve diferenças significativas para as variáveis: diâmetro do colmo, comprimento de espiga e peso de mil grãos para as doses de gesso agrícola e época de adubação. O aumento nas doses de gesso agrícola promoveu acréscimo apenas para a altura de planta. Uma provável justificativa da não obtenção de resposta a aplicação de diferentes doses de gesso para a produtividade do milho foi pelo fato de que o solo cultivado não apresentava alumínio tóxico e as quantidades de Ca e Mg na camada superficial do solo estavam adequadas para o cultivo de milho.
Outra provável causa da não significância dos resultados pode ter sido pela aplicação do gesso em superfície e sem a incorporação, ou seja, não houve tempo suficiente para que o gesso proporcionasse os benefícios de seu uso. Conclui-se que o sistema de plantio direto, a antecipação da adubação de NPK, em vinte e um dia diminuiu a produtividade da cultura do milho; bem como, afetou os componentes de produção: diâmetro do colmo e altura de plantas. A aplicação superficial de doses de gesso agrícola não afetou a produtividade de milho.

Fonte:XX RBMCSA REUNIÃO BRASILEIRA DE MANEJO E CONSERVAÇÃO DO SOLO E DA ÁGUA

Postagens mais visitadas deste blog

Como é formado os solos

O solo é a fina camada de material que cobre a superfície da Terra e é formado a partir da desagregação das rochas.Ela é composta principalmente de partículas minerais, materiais orgânicos, água, ar e organismos vivos de todas as que interagem lentamente ainda constantemente. A maioria das plantas obtem os seus nutrientes do solo elas são a principal fonte de alimento para os seres humanos, animais e pássaros.Portanto, a maioria dos seres vivos na terra dependem do solo para a sua existência. O solo é um recurso valioso que precisa ser cuidadosamente gerido, uma vez que é facilmente degradado.Se entendermos o  solo e controlá-lo corretamente, vamos evitar a destruição de um dos blocos de construção essenciais de nosso meio ambiente e nossa segurança alimentar. Perfil do solo, mostrando as diferentes camadas ou horizontes. O perfil de soloComo solos desenvolveram ao longo do tempo, as camadas (ou horizontes) formam um perfil do solo. A maioria dos perfis de solo é composto por - solo e subs…

Conheça os 5 melhores aplicativos para uso na área Agronômica 2018

1º PlantNet: Um excelente App para identificação de plantas daninhas. https://play.google.com/store/apps
Pl@ntNet é uma aplicação de colecta, anotaçâo e pesquisa de imagens para auxiliar a identificar plantas.Ela integra um sistema de ajuda para a identificação automática de plantas a partir de fotos comparadas com as imagens de um banco de dados botânicos. Os resultados permitem encontrar o nome botânico de uma planta, se esta for suficientemente ilustrada na base de referência. Tanto o número de espécies processadas como o número de imagens utilizadas evoluem com as contribuições neste projeto.A aplicação não permite a identificação de plantas ornamentais ou de horticultura. Funciona ainda melhor se as imagens submetidas focalizarem um órgão ou uma parte bem determinada da planta. As fotos de folhas de árvores sobre um fundo uniforme fornecem os resultados mais relevantes. 2° Pasto Certo O Pasto Certo é um aplicativo para dispositivos móveis que permite o acesso, de forma rápida e integr…

5 Melhores Apps para uso na área Florestal

1- C7 Relação H/D 

O Aplicativo C7 Relação H/D – Relação Hipsométrica - opera com os dados de altura e diametro obtidos e registrados no aplicativo de levantamentos de dados I, e procede o ajuste a modelos de regressão  com cálculos de coeficientes da regressão e outros como coeficiente de determinação (R2), erro padrão da estimativa (Sxy).  Estão pré-definidos 12 modelos que comumente são utilizados em tais levantamentos.
      A partir da seleção de um modelo ajustado e com a inserção de dados de DAP, o programa calcula a estimativa de alturas de árvores localizadas na área amostral onde foi estabelecida a relação hipsométrica. https://play.google.com/store/apps/details?id=crcampeiro.florestal&feature=search_result
2-Aplicativo C7 LDFP

O Aplicativo C7 LDFP - Levantamentos de Dados I – Florestas Plantadas  possibilita:
a) Cadastro de Espécies Florestais Exóticas(Plantadas) b) Cadastro de Projetos de Levantamentos Florestais aplicados a:     - Inventário de Florestas Plantadas     - Cálc…