Pular para o conteúdo principal

Brasil registra 65% a mais de queimadas em 2016

20/08/12. Crédito: Ana Rayssa. Brasil. Brasília - DF. incêndio próximo ao setor de clube sul.
Crédito: Ana Rayssa. Brasil. Brasília – DF. incêndio próximo ao setor de clube sul.
Desde o início do ano foram registrados mais de 53 mil focos de queimadas e incêndios florestais no País. O número representa um aumento de 65% em relação ao mesmo período do ano passado. O registro foi feito pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).
Segundo o coordenador de Monitoramento de Queimadas e Incêndios Florestais do INPE, Alberto Setzer, o País está na temporada de queimadas, que atingiu o pico em setembro. Ele alerta sobre a necessidade de intensificar a fiscalização para evitar que a população coloque fogo na vegetação nesta época do ano – a ação do homem, aliada ao tempo quente e seco, é uma das principais causas dos incêndios florestais.
O Acre apresenta uma das situações mais graves, com 844 focos – três vezes mais que 2015. No Amazonas, foram registrados até agora 3.022 registros de queimadas, um crescimento de 284% na comparação com o mesmo período do ano passado. Os números são do Programa de Monitoramento de Queimadas e Incêndios Florestais do INPE.
Fibria adota tecnologia pioneira no controle de incêndios
Combater com eficácia os incêndios florestais e minimizar as perdas que eles provocam é um desafio para as empresas de base florestal. A Fibria vem aprimorando a sua estratégia nessa área e, com essa finalidade, está adquirindo uma nova frota de veículos adaptados e equipados com tecnologia capaz de controlar rapidamente os focos de incêndio.
Eles utilizam o sistema CAFS –gerador de espuma com ar comprimido (na sigla em inglês), cujo uso no combate a incêndios florestais será feito de forma pioneira no Brasil pela Fibria.
Com maior poder de combater o fogo, cada veículo leva 10 mil litros de água, mas é como se levasse o equivalente a nove caminhões-pipa, ou seja, um volume de cerca de 90.000 litros. O diferencial é que os tanques da frota da Fibria também levam espuma e ar comprimido, aumentando em até 20 vezes o volume de água equivalente, o que amplia a eficácia no controle do fogo com menor uso de água.
Com esse novo sistema, em que cada caminhão-tanque conta com duas mangueiras de aspersão, possibilitando fazer o combate simultâneo em dois pontos, a expectativa da empresa é reduzir em 40% a extensão de áreas queimadas por focos de incêndio em suas propriedades.
Esse modelo de proteção florestal é pioneiro no Brasil e coloca a empresa na vanguarda em termos de tecnologia. “A nova estratégia garante mais agilidade e assertividade às nossas operações de combate a incêndios florestais”, observa o gerente de Silvicultura e Viveiro da Fibria, Rodrigo Zagonel.
Tecnologia
A adição de ar comprimido e espuma na água, multiplica em muitas vezes o seu volume, o que contribui para combater os incêndios em menor tempo e com menos água, segundo explica Edmilson Bitti, coordenador de Desenvolvimento Operacional da Fibria.
Com a nova estratégia, a empresa espera reduzir para até 20 minutos o tempo de resposta no controle de incêndios florestais e, consequentemente, os impactos ambientais e econômicos deles decorrentes.
A nova frota de nove veículos de combate a incêndios atuará em áreas localizadas nas regiões de Aracruz e Conceição da Barra (ES), e em municípios do sul da Bahia. Ela vai reforçar o trabalho das equipes de Silvicultura e de Restauração Ambiental na proteção das áreas florestais da Fibria (plantios de eucalipto e reservas nativas).
 Caminhão de combate a incêndio, adotado pela Fibria - CréditoFibria
Caminhão de combate a incêndio, adotado pela Fibria – CréditoFibria























Big Brother Florestal
A estratégia de combate a incêndios da empresa inclui também o monitoramento a partir de câmeras distribuídas nos plantios florestais, que transmitem informações em tempo real para uma central de monitoramento. Esse acompanhamento permite detectar mais rapidamente os focos de incêndio e atuar no combate antes que o fogo se alastre. “É uma espécie de Big Brother Florestal”, compara Edmilson.
O coordenador de Desenvolvimento Operacional da Fibria explica que os recursos tecnológicos são importantes, mas a empresa também conta com uma equipe treinada e preparada para atuar no controle de incêndios sempre que a situação exige.
Incluindo as áreas de silvicultura, restauração ambiental e proteção florestal, no Espírito Santo e na Bahia são mais de 400 profissionais que recebem treinamentos todos os anos e estão sempre prontos para eventuais necessidades envolvendo ocorrência de incêndios em áreas da empresa.
A preocupação com os incêndios florestais é maior nessa época do ano, quando a estiagem e os ventos contribuem para propagar o fogo.
FONTE REVISTA CAMPOS E NEGOCIOS 

Postagens mais visitadas deste blog

Como é formado os solos

O solo é a fina camada de material que cobre a superfície da Terra e é formado a partir da desagregação das rochas.Ela é composta principalmente de partículas minerais, materiais orgânicos, água, ar e organismos vivos de todas as que interagem lentamente ainda constantemente. A maioria das plantas obtem os seus nutrientes do solo elas são a principal fonte de alimento para os seres humanos, animais e pássaros.Portanto, a maioria dos seres vivos na terra dependem do solo para a sua existência. O solo é um recurso valioso que precisa ser cuidadosamente gerido, uma vez que é facilmente degradado.Se entendermos o  solo e controlá-lo corretamente, vamos evitar a destruição de um dos blocos de construção essenciais de nosso meio ambiente e nossa segurança alimentar. Perfil do solo, mostrando as diferentes camadas ou horizontes. O perfil de soloComo solos desenvolveram ao longo do tempo, as camadas (ou horizontes) formam um perfil do solo. A maioria dos perfis de solo é composto por - solo e subs…

Conheça os 5 melhores aplicativos para uso na área Agronômica 2018

1º PlantNet: Um excelente App para identificação de plantas daninhas. https://play.google.com/store/apps
Pl@ntNet é uma aplicação de colecta, anotaçâo e pesquisa de imagens para auxiliar a identificar plantas.Ela integra um sistema de ajuda para a identificação automática de plantas a partir de fotos comparadas com as imagens de um banco de dados botânicos. Os resultados permitem encontrar o nome botânico de uma planta, se esta for suficientemente ilustrada na base de referência. Tanto o número de espécies processadas como o número de imagens utilizadas evoluem com as contribuições neste projeto.A aplicação não permite a identificação de plantas ornamentais ou de horticultura. Funciona ainda melhor se as imagens submetidas focalizarem um órgão ou uma parte bem determinada da planta. As fotos de folhas de árvores sobre um fundo uniforme fornecem os resultados mais relevantes. 2° Pasto Certo O Pasto Certo é um aplicativo para dispositivos móveis que permite o acesso, de forma rápida e integr…

5 Melhores Apps para uso na área Florestal

1- C7 Relação H/D 

O Aplicativo C7 Relação H/D – Relação Hipsométrica - opera com os dados de altura e diametro obtidos e registrados no aplicativo de levantamentos de dados I, e procede o ajuste a modelos de regressão  com cálculos de coeficientes da regressão e outros como coeficiente de determinação (R2), erro padrão da estimativa (Sxy).  Estão pré-definidos 12 modelos que comumente são utilizados em tais levantamentos.
      A partir da seleção de um modelo ajustado e com a inserção de dados de DAP, o programa calcula a estimativa de alturas de árvores localizadas na área amostral onde foi estabelecida a relação hipsométrica. https://play.google.com/store/apps/details?id=crcampeiro.florestal&feature=search_result
2-Aplicativo C7 LDFP

O Aplicativo C7 LDFP - Levantamentos de Dados I – Florestas Plantadas  possibilita:
a) Cadastro de Espécies Florestais Exóticas(Plantadas) b) Cadastro de Projetos de Levantamentos Florestais aplicados a:     - Inventário de Florestas Plantadas     - Cálc…