Pular para o conteúdo principal

Uso de agrotóxicos no Brasil mais que dobra entre 2000 e 2012

  • Pesquisa do IBGE mostra ainda que os produtos classificados como perigosos são os mais vendidos no país (64,1%)
    Pesquisa do IBGE mostra ainda que os produtos classificados como perigosos são os mais vendidos no país (64,1%)
O uso de agrotóxicos pelo agronegócio brasileiro mais do que dobrou entre 2000 e 2012. Na média do país, foram comercializados 6,9 quilos por hectare (kg/ha) plantado em 2012, alta de 11% ante o ano anterior, segundo a 6ª edição dos Indicadores de Desenvolvimento Sustentável (IDS) 2015, divulgada nesta sexta-feira (19), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
O tema foi alvo de recente polêmica. Em abril, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) divulgou documento no qual afirma que o Brasil se tornou o maior consumidor mundial de agrotóxicos, com consumo médio mensal de 5,2 quilos de veneno agrícola por habitante - uma medição diferente da apresentada pelo IBGE, a partir de dados do Ibama, que avalia o uso por hectare.
O Inca recomendou a "redução progressiva e sustentada" do emprego de agrotóxicos nas plantações, diante de evidências de que a exposição de pesticidas está ligada a casos de câncer.
A pesquisa do IBGE mostra ainda que os produtos classificados como perigosos são os mais vendidos no país (64,1%). Eles são o terceiro na classificação de risco ao meio ambiente, que inclui também altamente perigosos, muito perigosos e pouco perigosos, segundo ordem decrescente de dados à natureza e ao solo. Os muito perigosos são o segundo mais consumido (27,7%).
O agrotóxico mais empregado pelos produtores foi o glifosato, um herbicida apontado por pesquisadores como nocivo à saúde. Entre os inseticidas, o mais usado foi o acefato, que passou a ter regras mais restritas de uso determinadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em 2013.
A alteração do uso do agrotóxico ocorreu após consulta pública por causa de suspeita de carcinogenicidade, toxicidade reprodutiva para seres humanos e efeitos neurotóxicos.
Já o fungicida mais popular foi o carbendazim, utilizado, por exemplo, nas culturas de algodão, citros, feijão, maçã e soja.
Na avaliação por localidade, a região Sudeste apresentou a maior comercialização dos venenos agrícolas por unidade de área (8,8 kg/ha), seguida pela Centro-Oeste (6,6 kg/ha).
Entre as unidades da federação, os maiores valores foram detectados em São Paulo (10,5 kg/ha), Goiás (7,9 kg/ha) e Minas Gerais (6,8 kg/ha). Os menores números foram verificados no Amazonas e Ceará, com menos de 0,5 kg/ha.
Fonte http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2015/06/19/uso-de-agrotoxicos-no-brasil-mais-que-dobra-entre-2000-e-2012.htm

Postagens mais visitadas deste blog

Como é formado os solos

O solo é a fina camada de material que cobre a superfície da Terra e é formado a partir da desagregação das rochas.Ela é composta principalmente de partículas minerais, materiais orgânicos, água, ar e organismos vivos de todas as que interagem lentamente ainda constantemente. A maioria das plantas obtem os seus nutrientes do solo elas são a principal fonte de alimento para os seres humanos, animais e pássaros.Portanto, a maioria dos seres vivos na terra dependem do solo para a sua existência. O solo é um recurso valioso que precisa ser cuidadosamente gerido, uma vez que é facilmente degradado.Se entendermos o  solo e controlá-lo corretamente, vamos evitar a destruição de um dos blocos de construção essenciais de nosso meio ambiente e nossa segurança alimentar. Perfil do solo, mostrando as diferentes camadas ou horizontes. O perfil de soloComo solos desenvolveram ao longo do tempo, as camadas (ou horizontes) formam um perfil do solo. A maioria dos perfis de solo é composto por - solo e subs…

Conheça os 5 melhores aplicativos para uso na área Agronômica 2018

1º PlantNet: Um excelente App para identificação de plantas daninhas. https://play.google.com/store/apps
Pl@ntNet é uma aplicação de colecta, anotaçâo e pesquisa de imagens para auxiliar a identificar plantas.Ela integra um sistema de ajuda para a identificação automática de plantas a partir de fotos comparadas com as imagens de um banco de dados botânicos. Os resultados permitem encontrar o nome botânico de uma planta, se esta for suficientemente ilustrada na base de referência. Tanto o número de espécies processadas como o número de imagens utilizadas evoluem com as contribuições neste projeto.A aplicação não permite a identificação de plantas ornamentais ou de horticultura. Funciona ainda melhor se as imagens submetidas focalizarem um órgão ou uma parte bem determinada da planta. As fotos de folhas de árvores sobre um fundo uniforme fornecem os resultados mais relevantes. 2° Pasto Certo O Pasto Certo é um aplicativo para dispositivos móveis que permite o acesso, de forma rápida e integr…

5 Melhores Apps para uso na área Florestal

1- C7 Relação H/D 

O Aplicativo C7 Relação H/D – Relação Hipsométrica - opera com os dados de altura e diametro obtidos e registrados no aplicativo de levantamentos de dados I, e procede o ajuste a modelos de regressão  com cálculos de coeficientes da regressão e outros como coeficiente de determinação (R2), erro padrão da estimativa (Sxy).  Estão pré-definidos 12 modelos que comumente são utilizados em tais levantamentos.
      A partir da seleção de um modelo ajustado e com a inserção de dados de DAP, o programa calcula a estimativa de alturas de árvores localizadas na área amostral onde foi estabelecida a relação hipsométrica. https://play.google.com/store/apps/details?id=crcampeiro.florestal&feature=search_result
2-Aplicativo C7 LDFP

O Aplicativo C7 LDFP - Levantamentos de Dados I – Florestas Plantadas  possibilita:
a) Cadastro de Espécies Florestais Exóticas(Plantadas) b) Cadastro de Projetos de Levantamentos Florestais aplicados a:     - Inventário de Florestas Plantadas     - Cálc…